terça-feira, 13 de setembro de 2022

Óculos escuros - filme de terror estreia esta quinta-feira

Filmes de terror não são a minha praia, mas publico o texto do meu filho, que foi assistir ao visionamento deste "Óculos escuros", que estreia esta semana.

“Óculos Escuros” é um filme de terror e mistério dirigido pelo realizador italiano Dario Argento. A história foca-se em Diana (Ilenia Pastorelli) e no acidente de que é vítima, perdendo a visão e tendo de se adaptar à sua nova condição. No entanto, o acidente foi provocado por um assassino em série, que não descansa até conseguir encontrar Diana.

No acidente esteve envolvido ainda outro veículo, sendo que o sobrevivente, um rapaz de 10 anos chamado Chin, vai ser o grande auxílio da personagem principal nas diversas fugas que têm de fazer para escapar das mãos do assassino. 
A trama do filme vai-se desenrolando de uma maneira bipolar, ora de uma forma frenética ora lentamente, o que por vezes faz com que as cenas fiquem desconectadas umas das outras, sendo que há mesmo uma ou duas que não fazem qualquer sentido nem acrescentam nada à história. 

Para estômagos fracos não é recomendável o filme, visto que Dario Argento é conhecido pelas suas cenas sangrentas e realistas, sendo que foram comuns nos diversos assassinatos que ocorreram ao longo da trama. 

Os fãs do género gore (cenas sangrentas e violentas) não vão ficar desiludidos com o filme. Os restantes? Talvez um pouco, pela desconexão das cenas e pelas decisões por vezes muito duvidosas das personagens."

Tiago Cunha








quinta-feira, 8 de setembro de 2022

A rainha eterna

Morreu a minha homónima. Isabel Alexandra. Mais um sinal de que o mundo, tal como o conhecíamos, está a mudar. A sua morte fez-me também recordar que o sonho mais surreal que tive na vida, foi quando sonhei que eu era ela. Sabem aqueles sonhos muito vividos e cheios de pormenores e de que nos lembramos quando acordamos? Foi desses. De tal maneira que ainda hoje me lembro de ter sonhado que era a Rainha de Inglaterra.

RIP

quarta-feira, 7 de setembro de 2022

A Teoria do Big Bang - 12 temporadas em 12 meses

Sempre gostei desta série. Ao longo dos últimos anos ia vendo um ou outro episódio avulso. No ano passado (faz amanhã um ano), decidimos ver a Teoria do Big Bang desde o início. As 12 temporadas. Vimos mais ou menos uma temporada por mês. Era a nossa telenovela. Hoje, 288 episódios depois, terminámos aquela que para mim é a melhor série de sempre.

Acabou e já tenho saudades. 


sexta-feira, 2 de setembro de 2022

13 anos na blogosfera

Faz precisamente hoje 13 anos que criei este blog. Baptizei-o de "Flores Cores e Amores", e durante vários anos aqui escrevi diariamente. Quando o iniciei, servia para alimentar duas paixões: a escrita e a fotografia. Estava longe de saber que a paixão pela escrita viria a dar os seus frutos, com dois livros publicados. E muito mais longe de saber que amanhã iria estar na Feira do Livro a dar autógrafos.

Mas o tempo que ocupo a escrever livros rouba-me tempo para me dedicar ao blog e a presença em mais plataformas, como o Instagram ou o Facebook, retirou-me ainda mais tempo para o Flores Cores e Amores. Por isso está cada vez mais inactivo. Estou grata por tudo o que me deu, principalmente ter conhecido pessoas fantásticas, que agora também as vejo mais nas outras redes do que na blogosfera.

Pode ser que um dia volte de novo a ser mais assídua. Obrigada a todos!



sexta-feira, 29 de julho de 2022

O Pugilista - um filme sobre o nascimento do boxe


Um filme recomendado pelo Flores Cores e Amores.

"O Pugilista” fala-nos da história e da origem do boxe moderno, com o foco do filme a incidir na carreira de Jem Belcher (Matt Hookings), o mais jovem campeão da história da modalidade em Inglaterra, país no qual surgiu o boxe como o conhecemos nos dias de hoje. 

A trama desenrola-se ao longo da vida de Belcher, desde a sua ascensão ao topo do boxe e consequente entrada na alta sociedade londrina, atravessando o período de declínio graças ao álcool e à perda da visão no seu olho esquerdo, sendo que tudo culminou na sua prisão durante algum tempo. No entanto, se o filme tivesse de ser definido numa palavra, seria “Redenção”. A jornada de Jem Belcher para se redimir e voltar a ser visto como um campeão é do mais inspirador que o desporto já viu, sendo que o ponto alto desta caminhada dá-se no combate épico contra Hen Pearce, o pugilista que detinha o título que outrora foi de Belcher. 
Um filme a não perder. Fica aqui o trailer para poderem espreitar.

Texto de Tiago Cunha







quinta-feira, 30 de junho de 2022

Perseguição, com Gerard Butler, estreia hoje nos cinemas!

Estreia hoje mais um filme com Gerard Butler nos cinemas e é bem ao seu estilo. Fomos assistir ao visionamento e aqui fica o texto escrito pelo Tiago Cunha:

“Perseguição” conta a história de um casal que se encontra prestes a concluir a sua separação. Will (Gerard Butler) e Liza (Jaimie Alexander) estão a fazer uma viagem relativamente normal, até casa dos pais dela, quando tudo muda numa suposta pacata bomba de gasolina. 

A ação começa logo na própria bomba, com um Will desesperado perante o desaparecimento da sua mulher. A partir daí, tudo se desenrola com o aparecimento das diferentes pistas, intrigas e pormenores que Will vai descobrindo, atrapalhado por vezes por uma força policial não muito competente e claro, pelos próprios raptores. 

Bom thriller, com uma história digna do género e com boa música para ajudar a aumentar a tensão nos momentos chave do filme. A não perder. Podem ver aqui o trailer.

As fotos são da NOS Audiovisuais.






domingo, 26 de junho de 2022

Elvis, um filme a não perder, já está nos cinemas


Amigos, este é um filme que vale a pena ver. Divulgo aqui algumas imagens e o trailer e também um resumo e crítica, escrita pelo meu filho, Tiago Cunha.

“Elvis” fala da vida do ícone mundial que é ainda hoje Elvis Presley. Fala dos seus vícios, dos seus dilemas, das suas músicas. Mas acima de tudo fala do seu amor. O seu amor à música, aos espetáculos e ao público que tanto o amava.

 Elvis é protagonizado de uma forma brilhante por Austin Butler, sendo que o seu famoso e polémico agente Coronel Tom Parker é interpretado por Tom Hanks, de uma maneira igualmente perfeita. 

Elvis surge no momento em que os Estados Unidos da América estavam a ruir, principalmente devido ao racismo e segregação racial da época, problemas que foram combatidos por Elvis devido às suas influências musicais e maneiras de dançar, provenientes da cultura musical negra como o Blues ou o Gospel. 

Nota ainda para a Olivia DeJonge, que encarna o papel da mulher de Elvis, Priscilla Presley, que continua até aos dias de hoje a gerir e a certificar-se que o legado do seu antigo marido continua a viver entre nós.  

Qualquer pessoa, fã ou não fã do cantor, deve ir ver este filme, sobre um dos maiores ícones de sempre. A não perder.







quarta-feira, 23 de março de 2022

Coincidência ou mensagem do Universo?

Tenho de partilhar convosco esta história. Um pequeno nada que aconteceu há dias, mas que não me sai da cabeça. Estava eu no quarto, a organizar gavetas de camisolas e a separar roupas para doar, quando me foi transmitida uma mensagem em forma de etiqueta. 

Mas antes disso um desabafo: faço doações de roupa regularmente. Vejo o que já me fica apertado, que ainda está em boas condições, que eu continuaria a vestir se me ficasse bem. E tenho dado a várias pessoas que sei que fazem uso dessas peças de roupa. Não dou lixo. Recuso-me. Roupas que já têm nódoas que não saem, com algum buraco irrecuperável ou outros danos, são lixo e não servem para mais ninguém.

Trabalhei durante anos numa instituição de solidariedade e sei bem o que é receber lixo. As pessoas são capazes de doar coisas inimagináveis, que já não prestam, porque acham que para os pobrezinhos e carenciados tudo serve. Eles, coitadinhos hão-de aproveitar. Não. Não vão aproveitar. Vão ficar ainda mais tristes e feridos na sua dignidade. A propósito deste tema tive várias discussões e cheguei mesmo a falar sobre isso num inquérito realizado por um jornal, junto das instituições, por altura do Natal. 

Há pouco tempo li um texto muito bem escrito, da Sofia Vieira que falava sobre isto mesmo e que vale a pena ler. As pessoas limpam a sua consciência limpando a sua casa e ficam todas satisfeitas e dizem à boca cheia que ajudaram este aquele ou aqueloutro. Deviam ter vergonha.

Terminado o desabafo, volto à minha tarefa. Estava eu a pôr roupas de parte, a pensar a quem as iria entregar, quando os meus pensamentos foram para a Ucrânia e comecei a organizar um saco de roupas que considerei adequadas a uma mulher adulta ou adolescente, para entregar daqui a algum tempo a uma ucraniana. E estava eu com este pensamento quando, ao dobrar mais uma camisola, dei por mim embasbacada a olhar para a etiqueta: "Made in Ukraine". Se tinha dúvidas sobre o destino das minhas roupas, a resposta chegou-me desta forma. Coincidência ou mensagem do Universo?



sexta-feira, 18 de fevereiro de 2022

Tantos livros para ler

Teria que viver muitas vidas para conseguir fazer tudo o que ainda quero fazer e para ler tudo o que desejo ler.  Vi isto ontem no Facebook e achei que tem tudo a ver comigo. Já nos cinquentas, quero aproveitar ao máximo o que a vida tem para me dar. Mais alguém com esse sentimento?



quinta-feira, 17 de fevereiro de 2022

The Beatles: Get Back - The Rooftop Concert


Sendo eu uma grande fã dos Beatles, não poderia deixar de falar deste filme/espectáculo, do realizador Peter Jackson.

Foi mesmo muito bom ver este concerto dos The Beatles e o título faz parecer que os Beatles estão mesmo de volta para um concerto! E voltaram com esta atuação extraordinária. Foi de facto um concerto muito especial, pois além de ter acontecido num terraço, foi mesmo o derradeiro concerto ao vivo que efectuaram juntos. Isto para além da confusão e da surpresa que causaram à sua volta, com este momento musical único e memorável. 

No dia 30 de Janeiro de 1969, John, Paul, George e Ringo (juntamente com Billy Preston) dirigiram-se para o telhado da sede da Apple Corps em Savile Row, um edifício com cinco andares, para um concerto improvisado para amigos e colegas. O concerto gratuito, que não tinha sido agendado ou promovido, seria ouvido por qualquer pessoa num raio de três a quatro quarteirões, incluindo executivos da área que saíram dos seus escritórios para almoçar e fãs de todas as idades, que abriram janelas ou subiram para os telhados adjacentes para assistir.

Michael Lindsay-Hogg tinha nove câmaras a filmar o concerto em simultâneo, para documentar minuciosamente cada momento, de diversos pontos de vista. As filmagens capturam interações entre John, Paul, George e Ringo, reações de fãs e funcionários de empresas próximas e um interlúdio cómico entre membros da Polícia Metropolitana de Londres, que respondiam a reclamações de barulho. Devido ao vento demasiado forte naquele dia, os microfones de estúdio usados para gravar o concerto foram envoltos em meias, de forma a reduzir o ruído criado pelo vento. Kevin Harrington, que geria o equipamento da banda, estava agachado em frente ao palco com cartões impressos com letras de músicas para John Lennon, e estava tanto frio que Ringo Starr pediu emprestada a capa de chuva vermelha da sua então esposa, Maureen.

The Beatles: Get Back - The Rooftop Concert apresenta o concerto na sua totalidade, sem interrupções, pela primeira vez... a última apresentação ao vivo dos The Beatles como um grupo.

Este momento faz parte das “Get Back Sessions”, que terminaram no dia a seguir a este concerto. A banda escreveu e ensaiou durante 22 dias e gravou 12 dias seguidos. O álbum ao vivo transformou-se num álbum de estúdio gravado nos Apple Studios que dá a sensação de uma performance ao vivo. De facto, várias das atuações gravadas na Apple Studios e no seu telhado acabam por aparecer no álbum Let It Be.

Uma oportunidade que os fãs da banda puderam ver em IMAX de 11 a 14 de Fevereiro. Para quem não viu, pelo menos pode espreitar pedacinhos aqui e aqui.


segunda-feira, 7 de fevereiro de 2022

Moonfall - o filme ideal para ver em IMAX


Eis um filme espectacular para ver em Imax. Neste "Moonfall" de Roland Emmerich, uma força misteriosa desvia a Lua da sua órbita e envia-a em rota de colisão com a Terra. Um filme de acção e ficção científica que leva heróis improváveis a embarcar numa missão impossível no espaço, deixando para trás todos os que amam, e que acabam por descobrir que afinal a nossa Lua não é aquilo que pensávamos.

Quando uma força misteriosa desvia a Lua da sua órbita e a coloca em rota de colisão com a Terra, Jo Fowler (Halle Berry), administradora e ex-astronauta da NASA, está convencida que tem a chave para nos salvar a todos. Mas semanas antes do impacto e com o mundo à beira de aniquilação, apenas o astronauta Brian Harper (Patrick Wilson), e o conspiracionista K. C. Houseman (John Bradley) acreditam nela.

"Moonfall" é realizado por Roland Emmerich, mais conhecido pelos seus filmes de ação e ficção científica como "2012", "O Dia da Independência" e "O Dia Depois de Amanhã". 

Podem espreitar o trailer aqui.







quinta-feira, 3 de fevereiro de 2022

Leituras de Janeiro

O mês de Janeiro a mim parece-me sempre maior do que todos os outros, mesmo tendo os mesmos 31 dias do que outros meses do ano. Não sei se foi por isso que a leitura em Janeiro me rendeu tanto. Um total de nove livros, entre os quais o mais recente de Nicholas Sparks (digam lá o que disserem mas é um romancista do caraças), uma novela gráfica em francês sobre a primeira realizadora de cinema do mundo e alguns livros de Banda Desenhada. Se eu podia viver sem livros? Podia. Mas não era a mesma coisa. Aliás, não era a mesma pessoa. 











sábado, 22 de janeiro de 2022

Não percam amanhã!

ESTE DOMINGO, 23 DE JANEIRO - NÃO PERCAM O COMBOIO! - ÀS 16 HORAS 🚂
Não percam a transmissão nas redes sociais da Casa das Letras - Bed&Books e da Sónia Morais Santos do blog Cocó na Fralda 
Estaremos as duas à conversa, sobre o meu livro "Não percas o comboio!" e não só!
E mais um motivo para não perderem esta transmissão: quem estiver a assistir e encomendar o livro, receberá um livro surpresa, oferecido pela Casa das Letras - Bed&Books.
Assistam, participem e partilhem com os vossos amigos.
A conversa decorrerá num lugar fantástico - Railroad Caffe.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2022

As minhas leituras em 2021

Se contar com o livro que escrevi e que tive de reler vezes sem conta, li, em 2021, 98 livros. É certo que a grande maioria são de banda desenhada, mas foram muitas páginas. Segundo a Goodreads (rede social de leitores da qual sou grande fã), foram precisamente 13529 páginas. Como será o 2022? Um já foi e já estou a ler o segundo.